Empreender | Empreender é complexo
4
post-template-default,single,single-post,postid-4,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Empreender é complexo

Empreender é complexo

Empreender é muito mais complexo do que você imagina. E é quase uma transgressão para os padrões de nossa sociedade.

Porque fomos criados para viver em um ciclo fechado. Entramos para a Universidade sem ter o mínimo de segurança que fizemos a escolha correta de profissão. E depois, somos praticamente obrigados a adquirir responsabilidades e um emprego. Esse é o padrão. Quem não segue o padrão é vagabundo.

Se você já empreendeu, ou tentou ter seu próprio negócio, aposto que já escutou que fez essa escolha porque “ele não gosta de trabalhar”, ou porque “ele é rico, tá com o bolso cheio, pode se dar ao luxo”. Eu sei disso porque escutei isso a vida inteira. As pessoas sempre tiveram a impressão de que eu não “gosto de trabalhar”.  E eu nunca dei muita atenção a essa impressão que as pessoas tinham de mim.

No meu ambiente familiar, eu pude presenciar a agonia e o sofrimento do meu pai ao trabalhar em um ambiente que ele odiava, com pessoas que o sobrecarregavam de trabalho e faziam com que ele não “desfrutasse” do ato de trabalhar. E meu pai era uma pessoa alegre, feliz, mas ficava claro para quem convivia com ele que o trabalho não lhe trazia prazer. Trazia o dinheiro que sustentava sua família. Essa realidade sempre despertou em meu cérebro um gatilho de que trabalho é feito com prazer. Sim, deverá trazer dinheiro. Mas importante é sentir-se feliz com o que faz.

Conseguiu chegar até essa parte do texto? Legal. Pois agora eu vou fazer uma confissão.

Esse blog tem como função compartilhar um pouco da minha experiência, pra ajudar outros que passaram pelos problemas que eu passei ou até mesmo pelas angústias que eu passo e já passei ao criar um negócio. Mas também é uma terapia para mim. Então, ao longo das semanas, você vai perceber que eu vou usar muitos exemplos pessoais. E se por um acaso você me conhecer um pouco melhor que a maioria, entenderá a importância que estes textos tem pra mim.